Tags: Ensino Superior

Trabalho e estudos: é possível conciliar as duas funções? Essa pergunta ronda a mente de muitas pessoas que desejam começar uma graduação, mas não podem abdicar do trabalho. Afinal, é possível fazer faculdade e trabalhar ao mesmo tempo? A resposta é sim!   

Há alguns anos poderia parecer impossível aliar estudos e trabalho, sendo muito comum que as pessoas tivessem que optar por um ou outro. Nesse contexto, muitos indivíduos acabavam deixando os estudos de lado, já que o trabalho era essencial para seu sustento.   

Felizmente, essa realidade vem se transformando. Na atualidade, com as facilidades do ensino à distância e as oportunidades de financiamentos e bolsas, cada vez mais pessoas conseguem ingressar no ensino superior e seguir trabalhando.   

De acordo com dados do Censo de Educação Superior, de 2009 a 2019, o número de novos alunos em cursos superiores à distância aumentou 4,7 vezes.  O número de estudantes saltou de cerca de 330 mil para mais de 1 milhão e meio. Ou seja, um crescimento de 378,9%.   

Além disso, programas como o Prouni (Programa Universidade para Todos), que oferecem bolsas de estudos, possibilitaram que mais estudantes ingressassem no ensino superior.   

Apesar disso, mesmo sem ter que pagar ou pagando parcialmente o valor das mensalidades, muitos estudantes ainda têm que seguir trabalhando.   

Nesse contexto, o grande desafio é ter uma rotina equilibrada e organizada, com tempo para atividades da graduação, laborais e de lazer.   

Enfrentar uma dupla jornada não é fácil, mas com algumas dicas da URI é possível viver esse momento com mais tranquilidade. Confira 5 dicas para fazer faculdade e trabalhar ao mesmo tempo: 

fazer-faculdade-e-trabalho-ao-mesmo-tempo- homem escrevendo e lendo livro

1 - Escolha uma modalidade de ensino adequada à sua rotina 

Atualmente, existem três modalidades de ensino: presencial, semipresencial e EAD.   

graduação presencial é aquela em que todas as aulas acontecem em um local físico, com o professor e os alunos reunidos dentro de uma sala de aula.   

Nesse modelo, é comum que os alunos tenham que ir até o local das aulas, o que pode fazer com que muitos estudantes percam tempo com descolamento e tenham gastos com alimentação e transporte.   

A graduação semipresencial é um modelo híbrido, em que coexistem atividades presenciais e a distância. Um curso é considerado semipresencial quando for composto por ao menos 20% de atividades a distância dentro de seu programa.  

No semipresencial, é comum que os estudantes tenham encontros presenciais pelo menos uma vez na semana, principalmente para realizar provas ou atividades práticas.   

Por fim, existe também a modalidade de ensino a distância, o famoso EAD. Nesse modelo, todas as atividades, incluindo aulas e provas, são realizadas remotamente.   

O EAD possibilita que os estudantes assistam às aulas quando e de onde estiverem, dando mais flexibilidade de horários. Além disso, as graduações EAD, por exemplo, costumam ter valores mais acessíveis do que os modelos citados anteriormente.   

Ao estudar a distância, os estudantes também economizam com transporte e alimentação.   

Não existe melhor ou pior modelo de ensino, tudo depende da rotina e personalidade do aluno.   

Para quem tem pouco tempo e uma rotina atribulada, o EAD pode ser uma boa escolha pela flexibilidade de horários.   

Já para quem não tem tanta afinidade com o digital e tem mais disponibilidade de horários, a graduação presencial pode ser uma boa alternativa.   

Ou seja, todas as modalidades são válidas, cabe aos alunos identificar a que se encaixa mais com seu perfil e sua rotina.   

2 - Organize seu dia 

Fazer faculdade não é só assistir às aulas, tem trabalhos, estudos e provas que fazem parte do dia a dia do estudante.   

Aliar todas essas atividades com o trabalho é desafiador, mas não impossível. O primeiro passo para dar conta de todos os afazeres é organizar o seu dia.  

Uma ótima dica para começar é criar um calendário semanal de atividades. Separe seu dia por horas e distribua seu tempo entre as atividades diárias. Por exemplo:   

Das 8h às 17h -  trabalho 

Das 17h às 18h -  tempo de deslocamento 

Das 18h30 às 20h30 - horário dedicados aos estudos 

Das 21h às 22h - academia   

Essa organização é apenas uma sugestão. Faça uma lista de todos os afazeres e demandas diárias e planeje seu dia de acordo com o tempo que é preciso dedicar a cada uma.  

3 - Evite a procrastinação

Deixar as tarefas para depois ou ir adiando atividades importantes pode ser um grande inimigo de quem alia estudos e trabalho.   

Para quem tem pouco tempo e muitas atividades, a procrastinação afeta diretamente a produtividade. De vez em quando, pode ser saudável adiar uma ou outra pendência. O problema é quando a procrastinação se torna um hábito corriqueiro.   

Segundo pesquisa realizada pela Fundação Estudar, em parceria com a MindMiners, 52% dos estudantes afirmaram que a procrastinação é, de fato, o maior inimigo da sua produtividade.  

Ao ir adiando continuamente tarefas importantes, os estudantes acabam acumulando muitas atividades para fazer de uma vez só. Essa situação pode prejudicar a qualidade de trabalhos e o desempenho em provas, por exemplo.   

Além disso, a procrastinação pode levar ao esgotamento físico e mental frente ao acúmulo de afazeres.   

Para quem faz faculdade e trabalha, evitar a procrastinação é essencial para ter uma rotina tranquila e equilibrada.  

4 - Procure auxílio financeiro  

Arcar com os custos das mensalidades pode ser um desafio para aqueles que estudam e trabalham.   

A boa notícia é que atualmente existem formas de conseguir bolsas de estudos e financiamento estudantil, opções que podem deixar os estudantes mais confortáveis financeiramente.   

Uma das opções é o Prouni, que oferece bolsas de estudos para cursos de graduação presenciais e a distância. O objetivo do programa é auxiliar estudantes brasileiros de baixa renda a ingressar em universidades privadas.  

Os contemplados com as bolsas do Prouni são selecionados a partir da nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Ou seja, para participar do processo seletivo do Prouni é indispensável realizar o exame.  

Os estudantes devem atingir uma pontuação mínima estabelecida pelo MEC (Ministério da Educação) para concorrer às bolsas do Prouni.  

O Prouni oferece bolsas integrais e parciais.  As bolsas integrais são destinadas aos candidatos com renda familiar bruta mensal de até 1,5 salário mínimo por pessoa. Já as parciais, destinam-se aos estudantes com renda familiar bruta mensal de até 3 salários mínimos por pessoa.    

Além das bolsas de estudos, os estudantes também podem tentar financiamentos, sendo o FIES (Fundo de Financiamento Estudantil) um dos programas mais populares.   

O FIES ajuda estudantes de baixa renda a pagar as mensalidades do curso, sendo possível financiar até 50% do valor. Lembramos que o FIES é um empréstimo e deve ser pago ao final do curso.   

Para solicitar o FIES, o estudante precisa ter feito Enem, com desempenho de pelo menos 450 pontos na média geral das provas e nota maior do que zero na redação. Além disso, a renda familiar bruta mensal não pode ultrapassar 2,5 salários mínimos por pessoa.  

Aqui na URI, também oferecemos diversas opções de bolsas de estudos para a graduação EAD, além de participar do Prouni. Conheça algumas das oportunidades do EAD URI aqui.  

5 - Cuide da sua saúde mental e física

Levar uma dupla jornada, com estudos e trabalho, pode ser emocionalmente e fisicamente muito desgastante. É preciso encontrar um equilíbrio entre as atividades para levar uma vida saudável.  

Reserve um tempo para momentos de lazer e descanso. Desocupar a mente também é importante para conciliar todos os afazeres. Conte com o apoio de pessoas queridas nesse processo.  

Além disso, procure praticar alguma atividade física e se alimentar corretamente. Muitas vezes, com a correria do dia a dia, os estudantes acabam negligenciado sua saúde física, ficando muito tempo sentados e se alimentando mal.   

Cuidar do corpo e da mente é essencial para atingir seus objetivos pessoais e profissionais.  

fazer-faculdade-e-trabalhar-ao-mesmo-tempo - mulher lendo livro e com um lápis na mão

Conclusão

Fazer faculdade e trabalhar é um desafio que requer organização e dedicação, mas é uma possibilidade cada vez mais acessível para os estudantes brasileiros.   

Neste artigo, trouxemos 5 dicas para ajudar nesse processo. Confira, resumidamente, quais foram:  

1 - Escolha uma modalidade de ensino adequada à sua rotina 

2 - Organize seu dia 

3 -  Evite a procrastinação 

4 -  Procure auxílio financeiro 

5 - Cuide da sua saúde mental e física

Por maiores que sejam os percalços, seguindo essas dicas é possível conciliar as duas atividades.   

Ter um diploma de ensino superior abre muitas portas para o mercado de trabalho.  

Dados do relatório Um Olhar Sobre a Educação, de 2018, mostraram que ter diploma de ensino superior no Brasil aumenta as chances de empregabilidade e de ter salários maiores.   

De acordo com o estudo, quem tem diploma universitário no país ganha até 2,5 vezes mais do que alguém que concluiu apenas o ensino médio.   

Aqui na URI, temos diversas opções de graduações EAD. Todos os cursos com a mesma excelência das aulas presenciais na modalidade a distância.  

A URI é uma instituição de ensino de prestígio, que investe em professores qualificados e prepara profissionais para o mercado de trabalho. Conheça as nossas opções de bolsas de estudo e se matricule já.  

Inscreva-se no nosso Blog

New call-to-action

O que você achou dessa publicação?

Deixe o seu comentário abaixo.

BUY On HUBSPOT