Dicas

Conectivos: o que são e como usar em redações

EAD URI   |    |  13 min de leitura
Saiba mais
Saiba mais

 Tags: Dicas

Os conectivos são elementos textuais centrais na construção da argumentação de uma redação, mas você sabe como utilizá-los na prática?

Eles trazem coerência e coesão para o texto, uma vez que, quando mal utilizados, reduzem a compreensão da mensagem central.

Existe uma variedade de possibilidades. Conectivos de afirmação, negação, causa ou efeito: cada um dos tipos vai cumprir com uma função diferente dentro do texto.

Por isso, nesse artigo você vai encontrar a definição de conectivos, quais são eles e quando podemos usá-los nos textos, a importância da sua utilização para alcançar uma boa nota nas redações do Enem e outros vestibulares, além de ver como esses elementos aparecem em questões de prova.

Confira:

Definição e quando usamos os conectivos
Os tipos de conectivos
A importância do uso de conectivos em redações
Questões de português sobre conectivos
Conclusão

Peças de um quebra-cabeça marrom montados em cima da mesa com uma das peças faltando.

Definição e quando usamos os conectivos

Os conectivos são expressões linguísticas usadas para conectar enunciados, frases, orações e outros elementos textuais com o objetivo de dar sequência a argumentação e sentido às ideias que estão sendo expostas.

Os principais e mais conhecidos conectivos textuais são as conjunções, porém alguns advérbios e pronomes também podem cumprir com essa função.

Os conectivos são também chamados de conectores ou articuladores do discurso, justamente por serem um dos principais elementos textuais responsáveis por trazerem coerência ao que está sendo escrito.

Ou seja, os conectivos permitem a articulação das ideias no texto; a construção da sequência discursiva; a coesão e coerência textual; a estruturação do texto em introdução, desenvolvimento e conclusão; e a melhor transmissão e compreensão da mensagem que se está querendo passar.

Existem alguns conectivos mais utilizados no início das frases, outros no meio da enunciação. Além disso, a maioria deles são utilizados em textos dissertativos ou argumentativos, mas também há os que são mais comuns em textos narrativos.

Por isso você precisa saber todas as possibilidades de articular o seu texto e como usar cada uma delas.

Os tipos de conectivos

Existe uma variedade de conectivos que cumprem com diferentes funções dentro do texto. Veja cada um dos tipos, como usar e exemplos de variações.

1) Introdução e/ou relevância

Esse tipo de conector é muito utilizado no início das frases, seja para apresentar um argumento ou para dar destaque a algum ponto que será trazido no texto. São eles:

  • Primeiramente;
  • Em primeiro lugar;
  • Antes de mais nada;
  • Antes de tudo;
  • Acima de tudo;
  • Para começar;
  • Sobretudo;
  • Principalmente;
  • Primordialmente.

💡Exemplo de uso: Antes de mais nada, é preciso refletir sobre os benefícios da educação a distância para alunos que já estão no mercado de trabalho e precisam de flexibilidade para conciliar suas atividades.

2) Sequência e/ou continuidade

Esses conectores são os responsáveis por dar sequência a um argumento que já estava sendo construído na frase anterior e podem ser usados no início ou meio da frase. Veja alguns exemplos:

  • Depois;
  • Após;
  • Logo depois;
  • Logo após;
  • Na sequência;
  • Imediatamente;
  • Em seguida;
  • Depois de;
  • Logo que;
  • Assim que;
  • Logo;
  • Então.

💡Exemplo de uso: Alunos que trabalham e estudam ao mesmo tempo precisam de flexibilidade para conciliar suas atividades, logo, o EAD é a melhor opção para eles.

3) Conclusão, resumo e/ou recapitulação

Esses conectores são muito utilizados para concluir um pensamento no parágrafo e geralmente são acionados na conclusão de um texto ou redação. Conheça alguns desses conectores:

  • Por isso;
  • Assim;
  • Assim sendo;
  • Então;
  • Logo;
  • Enfim;
  • Portanto;
  • Em conclusão;
  • Em síntese;
  • Em resumo;
  • Em suma;
  • Para terminar;
  • Por último;
  • Resumidamente;
  • Desse modo;
  • Dessa forma;
  • Dessa maneira;
  • Destarte;
  • Dessarte.

💡Exemplo de uso: O ensino a distância, portanto, tem revolucionado o ensino superior, ampliando oportunidades de estudo para um público que não teria acesso a cursos presenciais, seja pelo estilo de vida ou pelo valor das mensalidades.

4) Adição

Esse tipo de conector, como o próprio nome já diz, adiciona informações a um pensamento que já estava sendo formulado na frase ou parágrafo do texto. São eles:

  • Também;
  • Bem como;
  • Assim como;
  • Como também;
  • Como ainda;
  • Além disso;
  • Ainda;
  • Ademais;
  • Não só… mas também;
  • Não só… como também.

💡Exemplo de uso: Os cursos EAD não só possibilitam uma maior flexibilidade de horários para os alunos, como também têm mensalidades com valores mais baixos.

5) Afirmação e/ou certeza

Os conectivos de afirmação confirmam ou reforçam um argumento que está sendo construído no texto. Os mais comuns são:

  • Com certeza;
  • Certamente;
  • Sim;
  • De certo;
  • Por certo;
  • Sem dúvida;
  • Seguramente;
  • Efetivamente;
  • Naturalmente;
  • Evidentemente;
  • Realmente;
  • Verdadeiramente;
  • De verdade;
  • Decerto;
  • Com efeito.

💡Exemplo de uso: A popularização do EAD será, com certeza, uma importante evolução na educação brasileira.

6) Negação

Os conectivos de negação reforçam, em um sentido negativo, alguma ideia que está sendo discutida na frase ou parágrafo. Veja algumas opções:

  • Não;
  • Nunca;
  • Jamais;
  • De modo algum;
  • De jeito nenhum;
  • Em hipótese alguma;
  • Tampouco.

💡Exemplo de uso: Em hipótese alguma os monitores permitirão a consulta à materiais de apoio durante a realização da prova no vestibular.

7) Oposição

Esses conectivos têm o objetivo de contrapor, opor ou fazer ressalvas sobre argumentos que estão sendo trazidos no texto.

  • Mas;
  • Porém;
  • Todavia;
  • Contudo;
  • Entretanto;
  • No entanto;
  • Só que;
  • Embora;
  • Pelo contrário;
  • Ainda que;
  • Mesmo que;
  • Apesar de que;
  • Se bem que;
  • Ao passo que.

💡Exemplo de uso: O texto que Maria redigiu para a última prova do Enem estava com uma escrita muito bonita, mas não condizia com a temática proposta.

8) Causa e/ou consequência

Esse tipo de conectivo é usado para explicar causas e consequências do que você está expondo no seu texto. Confira algumas das opções:

  • Por causa de;
  • Por isso;
  • Em virtude de;
  • Como resultado;
  • Por consequência;
  • Por conseguinte;
  • Haja vista;
  • Já que;
  • Uma vez que.

💡Exemplo de uso: O Enem possui questões de diferentes áreas do conhecimento para avaliar o desempenho dos estudantes durante o ensino médio. Por isso, aproveite ao máximo as aulas, atividades, trabalhos e provas durante o período escolar.

9) Tempo

Os conectivos temporais são os responsáveis por dar sequência aos acontecimentos narrados no texto e são mais comumente utilizados em textos narrativos. São eles:

  • Quando;
  • Enquanto;
  • Sempre que;
  • Todas as vezes;
  • Às vezes;
  • Ao tempo que;
  • No momento em que;
  • Agora;
  • Hoje;
  • Atualmente;
  • Frequentemente;
  • Constantemente;
  • Ao mesmo tempo;
  • Simultaneamente.

💡Exemplo de uso: Hoje, quando saiu da escola, Joana foi direto para o curso pré-vestibular.

10) Dúvida

Esses são os conectivos usados para questionar, dar a sensação de probabilidade ou pôr em dúvida alguma ideia presente no texto. Conheça alguns deles:

  • Talvez;
  • Quem sabe;
  • Provavelmente;
  • Possivelmente;
  • Quiçá;
  • Se é que;
  • Porventura.

💡Exemplo de uso: Se Francisco não criar uma rotina de estudos, ele provavelmente não passará no vestibular.

11) Finalidade e/ou propósito

Com esses conectivos, o interlocutor pretende frisar algum propósito ou finalidade relacionado a algum objetivo presente em seu texto. Veja alguns deles:

  • Para;
  • Para que;
  • A fim de;
  • A fim de que;
  • Com o fim de;
  • Com finalidade de;
  • Com o propósito de;
  • Com o intuito de;
  • Com o objetivo de.

💡Exemplo de uso: Com o intuito de ter um bom desempenho no Enem, Carlos elaborou um cronograma de estudos seguido diariamente.

12) Explicitação e/ou exemplificação

Como o próprio nome já diz, esses conectivos têm o objetivo de dar algum exemplo. São eles:

  • Isto é;
  • Ou seja;
  • Quer dizer;
  • A saber;
  • Aliás;
  • Como se pode ver;
  • Por exemplo;
  • A exemplo de;
  • Quer isto dizer;
  • Por outras palavras.

💡Exemplo de uso: As questões cobradas nas provas do Enem dizem respeito às disciplinas ministradas durante a vida escolar do aluno, como, por exemplo, matemática, português e ciências.

13) Comparação, conformidade e/ou semelhança

Esses conectivos são utilizados quando queremos relacionar uma ideia ou conceito já trabalho no texto anteriormente, além de também serem usados para resgatar argumentos de outros textos ou autores. Conheça alguns deles:

  • Igualmente;
  • Tal qual;
  • Assim como;
  • Bem como;
  • Assim também;
  • Tanto quanto;
  • Tão… quanto;
  • Tão… como;
  • Da mesma maneira;
  • Da mesma forma;
  • Do mesmo modo;
  • De maneira idêntica;
  • Semelhantemente;
  • Similarmente;
  • Analogamente.

💡Exemplo de uso: Do mesmo modo que você se esforçou para ter um bom desempenho no vestibular, eu também o fiz.

14) Condição e/ou hipótese

Os conectivos de condição ou hipótese dizem respeito a situações circunstanciais, ou seja, fatores que tem alguma relação de causa e efeito. Veja alguns exemplos:

  • Se;
  • Caso;
  • Eventualmente;
  • Desde que;
  • Contanto que;
  • A menos que;
  • A não ser que;
  • Sem que.

💡Exemplo de uso: Se chover nesta manhã, não irei para a escola.

16) Chamada de atenção

Esses conectores são usados, de forma mais explícita, para chamar a atenção para alguma parte, argumento ou ideia do texto. Os mais comuns desse tipo são:

  • Destaca-se;
  • Salienta-se;
  • É de referir;
  • É de salientar;
  • Nota-se que;
  • Constata-se que;
  • Verifica-se que.

💡Exemplo de uso: Com os índices escolares apresentados pelo Inep, constata-se que os alunos da rede pública brasileira têm um baixo desempenho em matemática.

Mulher escrevendo com uma caneta em alguns papeis posicionados em cima da mesa. Ao lado, há uma xícara de café.

A importância do uso de conectivos em redações

Como já falamos, o uso de conectivos é essencial em qualquer tipo de texto, mas ainda mais importante em redações do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), de outros vestibulares de instituições de ensino superior ou mesmo em provas de concursos públicos.

Na redação do Enem, por exemplo, a utilização correta dos conectivos é pontuada em 3 das 5 competências avaliadas. Essa avaliação leva em consideração, sobretudo, se o seu texto possui coerência e fluidez.

São, portanto, dois fatores que você deve levar em consideração na utilização dos conectivos: a coesão e a coerência do texto.

Coesão textual consiste na conexão, ou ligação, entre as palavras, frases e parágrafos do seu texto, de modo que haja uma estrutura correta dos elementos linguísticos.

Já a coerência diz respeito a lógica do texto, ou seja, você precisa construir enunciados que façam sentido uns com os outros e que gerem uma compreensão no argumento central do texto.

Para além da redação, a utilização correta dos conectivos também pode ser avaliada por meio de questões objetivas. Veja alguns exemplos.

Um homem e duas mulheres sentados ao redor de uma mesa folheando livros.

Questões de português sobre conectivos

Veja como os conectivos costumam aparecer em questões de português no Enem:

Questão 1 (Enem 2016)
O senso comum é que só os seres humanos são capazes de rir. Isso não é verdade?

Não. O riso básico — o da brincadeira, da diversão, da expressão física do riso, do movimento da face e da vocalização — nós compartilhamos com diversos animais. Em ratos, já foram observadas vocalizações ultrassônicas — que nós não somos capazes de perceber — e que eles emitem quando estão brincando de “rolar no chão”. Acontecendo de o cientista provocar um dano em um local específico no cérebro, o rato deixa de fazer essa vocalização e a brincadeira vira briga séria. Sem o riso, o outro pensa que está sendo atacado. O que nos diferencia dos animais é que não temos apenas esse mecanismo básico. Temos um outro mais evoluído. Os animais têm o senso de brincadeira, como nós, mas não têm senso de humor. O córtex, a parte superficial do cérebro deles, não é tão evoluído como o nosso. Temos mecanismos corticais que nos permitem, por exemplo, interpretar uma piada.

Disponível em: http://globonews.globo.com. Acesso em: 31 maio 2012 (adaptado).

A coesão textual é responsável por estabelecer relações entre as partes do texto. Analisando o trecho “Acontecendo de o cientista provocar um dano em um local específico no cérebro”, verifica-se que ele estabelece com a oração seguinte uma relação de

  1. Finalidade, porque os danos causados ao cérebro têm por finalidade provocar a falta de vocalização dos ratos.
  2. Oposição, visto que o dano causado em um local específico no cérebro é contrário à vocalização dos ratos.
  3. Condição, pois é preciso que se tenha lesão específica no cérebro para que não haja vocalização dos ratos.
  4. Consequência, uma vez que o motivo de não haver mais vocalização dos ratos é o dano causado no cérebro.
  5. Proporção, já que à medida que se lesiona o cérebro não é mais possível que haja vocalização dos ratos.

Obs. Gabarito no final da página. 

Questão 2 (Enem 2014)
Miss Universo: "As pessoas racistas devem procurar ajuda"

SÃO PAULO - Leila Lopes, de 25 anos, não é a primeira negra a receber a faixa de Miss Universo. A primazia coube a Janelle "Penny" Commissiong, de Trinidad e Tobago, vencedora do concurso em 1977. Depois dela vieram Chelsi Smith, dos Estados Unidos, em 1995; Wendy Fitzwilliam, também de Trindad e Tobago, em 1998, e Mpule Kwelagobe, de Botswana, em 1999. Em 1986, a gaúcha Deise Nunes, que foi a primeira negra a se eleger Miss Brasil, ficou em sexto lugar na classificação geral. Ainda assim a estupidez humana faz com que, vez ou outra, surjam manifestações preconceituosas como a de um site brasileiro que, às vésperas da competição, e se valendo do anonimato de quem o criou, emitiu opiniões do tipo "Como alguém consegue achar uma preta bonita?" Após receber o título, a mulher mais linda do mundo - que tem o português como língua materna e também fala fluentemente o inglês - disse o que pensa de atitudes como essa e também sobre como sua conquista pode ajudar os necessitados de Angola e de outros países.

COSTA, D. Disponível em: http://oglobo.globo.com. Acesso em: 10 set 2011 (adaptado)

O uso da expressão “ainda assim” presente nesse texto tem como finalidade

  1. Criticar o teor das informações fatuais até ali veiculadas.
  2. Questionar a validade das ideias apresentadas anteriormente.
  3. Comprovar a veracidade das informações expressas anteriormente.
  4. Introduzir argumentos que reforçam o que foi dito anteriormente.
  5. Enfatizar o contrassenso entre o que é dito antes e o que vem em seguida.

Obs. Gabarito no final da página. 

Questão 3 (Enem 2010)
Os filhos de Anna eram bons, uma coisa verdadeira e sumarenta. Cresciam, tomavam banho, exigiam para si, malcriados, instantes cada vez mais completos. A estouros. O calor era forte no apartamento que estavam aos poucos pagando. Mas o vento batendo nas cortinas que ela mesma cortara lembrava-lhe que se quisesse podia parar e enxugar a testa, olhando o calmo horizonte. Como um lavrador. Ela plantara as sementes que tinha na mão, não outras, mas essas apenas.

LISPECTOR, C. Laços de família. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

A autora emprega por duas vezes o conectivo mas no fragmento apresentado. Observando aspectos da organização, estruturação e funcionalidade dos elementos que articulam o texto, o conectivo mas

  1. Expressa o mesmo conteúdo nas duas situações em que aparece no texto.
  2. Quebra a fluidez do texto e prejudica a compreensão, se usado no início da frase.
  3. Ocupa posição fixa, sendo inadequado seu uso na abertura da frase.
  4. Contém uma ideia de sequência temporal que direciona a conclusão do leitor.
  5. Assume funções discursivas distintas nos dois contextos de uso.

Obs. Gabarito no final da página. 

Conclusão

Neste artigo você conferiu a definição de conectivos e suas diferentes funções. Cada um dos tipos de conectivos será usado em um local diferente do texto, cumprindo com objetivos diversos, como adição, negação, condição ou comparação.

Conhecer as possibilidades de uso dos conectivos é essencial para escrever uma boa redação no Enem e em outras provas de vestibulares, já que eles trazem coesão, coerência e fluidez para o texto.

Além disso, os conectivos também costumam aparecer em questões de português do Enem, como mostramos em alguns exemplos.

Gostou desse conteúdo? Acompanhe o blog do EAD URI para ler mais artigos sobre educação e mercado de trabalho.

Gabarito das questões:

Questão 1 - Letra C

Questão 2 - Letra E

Questão 3 - Letra E

Inscreva-se no nosso Blog

New call-to-action

O que você achou dessa publicação?

Deixe o seu comentário abaixo.

BUY On HUBSPOT